Home > Campanhas > Março Roxo – Mês de Conscientização da Epilepsia em Animais

Apoiamos Março Roxo 💜 Mês de Conscientização da Epilepsia

CONVULSÃO E EPILEPSIA EM ANIMAIS: O QUE FAZER E COMO TRATAR

CRISES CONVULSIVAS PODEM CAUSAR DESESPERO EM TUTORES E PETS! VÁRIAS PATOLOGIAS PODEM GERAR CONVULSÕES OU EPILEPSIA. INFORMAÇÃO É A MELHOR ARMA CONTRA O PRECONCEITO, EUTANÁSIAS E ABANDONOS DE PETS QUE SE TORNAM ESPECIAIS! PODE ACONTECER COM QUALQUER UM!

“A primeira vez que aconteceu achei que minha Fifi fosse virar estrelinha! Fiquei desesperada! Ela sempre foi uma cachorra normal. Do nada ela fica quieta, começa a babar e fica rígida, depois se contorcendo. Não sabia o que fazer!” – Esse é o relato da Clara e sua cachorra Fifi, que descobriu ser epilética. – “No começo foi muito difícil. Achei que seria uma sentença de morte. Pensamos em eutanásia. Mas descobrimos que há tratamentos que controlam bem as crises: tornam-se menos intensas e frequentes. Fifi tem vida normal.”

 

O QUE É CONVULSÃO OU EPILEPSIA?

Epilepsia é uma pequena disfunção cerebral, que faz com que o cachorro tenha diversas convulsões de maneira incontrolável. As convulsões, que é um sintoma da epilepsia, variam em frequência e intensidade podendo fazer com que seu pet fique descontrolado, começando a salivar, o animal perde a coordenação motora, cai com as pernas esticadas e com tremores, pode urinar, defecar e se debater durante a crise.

Por respeito aos nossos leitores, não colocaremos nenhum vídeo exemplificativo de uma convulsão para não chocar.
Essa imagem colocamos pequena, em respeito também, apenas para demonstrar um animal em crise convulsiva. Caso tenha interesse, há videos na internet de animais em crise. Nós optamos por não adicioná-los.

O QUE FAZER DURANTE UMA CRISE?

Nada! Infelizmente, nada! Não mexa, de forma alguma, no seu pet! Ele pode não te reconhecer ou, mesmo reconhecendo, pode morder instintivamente. NÃO MEXA NELE!

Se a movimentação involuntária dele oferecer risco ao próprio por se bater em móveis por exemplo, afaste os móveis, não o animal se possível. Lembre-se: não é seguro mexer em seu pet em meio a uma convulsão. Se o fizer, faça de forma segura para você e seu animal.

As crises convulsivas pode ter ou não perda de consciência. Muitos leitores relatam que tentam acalmar seus pets falando baixo na orelha dele. Pode dar certo! Tenha calma e paciência até que o pet recobre seu estado normal, já que, nas crises convulsivas o animal tende a ficar bastante confuso por algum tempo e pode até mesmo não reconhecer seu próprio dono.

Ao perceber que o pet retoma os sentidos, é uma boa opção que o seu proprietário tente conversar com ele, para que seja reconhecido e o animal possa se tranquilizar mais facilmente.

Tente acalmar seu pet falando baixo no ouvido dele. Cuidado! Não mexa nele! Exceto se houver risco de queda.

O QUE CAUSA CONVULSÕES OU EPILEPSIA?

Convulsões podem ser causadas por causas pontuais como febre alta em decorrência de uma infecção, por exemplo. O animal torna-se epiléptico quando as convulsões são frequentes e sem causa infecciosa ativa.

As causas mais comuns que podem proporcionar o aparecimento da Epilepsia nos pets são:

– As diversas doenças que podem afetar o sistema nervoso do animal, podendo causar ter como sequela a epilepsia. Ex: cinomose e meningites.

– Intoxicação ou envenenamento por produtos químicos.

– Doenças cerebrais como os tumores, por vezes também podem causar as convulsões em cachorros.

– Batidas fortes na cabeça, como os traumatismos cranianos, podem causar ataques epilépticos e convulsões. Sequelas de atropelamentos, agressões, etc.

– Doenças relacionadas ao fígado, também chamadas de hepáticas.

– Sem causas definidas. Pré-disposição genética e/ou da raça.

 

COMO DIAGNOSTICAR?

O diagnóstico é feito exclusivamente por um veterinário neurologista, especialista em sistema nervoso. Pode-se utilizar exames auxiliares como de sangue, análise de líquor, tomografia.

 

COMO TRATAR?

Hoje há vários anti-convulsivos no mercado. Alguns podem gerar tolerância, o que faz com que haja reajuste de dose frequentemente. Com o aumento das doses, pode-se gerar dano hepático, o que faz necessária a busca por outro medicamento ou tratamento.

Além do tratamento por remédios, acupuntura tem resultados bastante eficientes para o controle das crises.

Tratamentos experimentais com células tronco, em alguns casos, vem se mostrando bastante promissoras também para o tratamento da epilepsia.

 

MEU PET É EPILÉPTICO. E AGORA?

Calma! Não é o fim do mundo. Sim, concordamos que não é nada legal ver seu bichinho se contorcer. Não sabemos se ele voltará da convulsão. Ou da próxima. Sim, isso é um risco que existe. Não vamos negar. Contudo, quando tratadas, as crises podem desaparecer completamente! Ou diminuídas em frequência e intensidade.

Os anti-convulsivantes podem causar problemas no fígado e alterações de humor e peso. Logo, o controle periódico do proprietário e veterinário é essencial.

A dieta pode ser controlada também. Há diversos relatos de melhora nas crises convulsivas e diminuição da dosagem dos anti-convulsivantes por uma dieta diferenciada, uso de florais e homeopatia. Vale a dica!

Não desista do seu pet. Ele precisa de você. Mesmo que o tratamento não termine completamente com as convulsões, há relatos de casos de epilepsia grave como sequela de cinomose, sem resposta satisfatória ao tratamento de controle, mas que viveram por 16-18 anos! E bem!

Epilepsia não é uma sentença de morte!

 

Dicas!

– Faça um pequeno arquivo sobre as crises, descrevendo quando começaram, qual o tempo aproximado de duração, o que o cão comeu naquele dia e como tinha se comportado até o episódio. Anote a hora, data e qualquer outra observação que achar importante.

– Leve o cão ao veterinário periodicamente, especialmente quando o animal  tiver a primeira convulsão, mais de uma convulsão ao dia, se a convulsão tiver duração prolongada e com mais de cinco minutos. Se a frequência, duração ou intensidade das convulsões mudarem, procure o veterinário!

 

No mais, aceite essa nova condição do seu animal. Ele aceitaria se fosse com você. Não desista de quem nunca desistiria de você! Ele pode ter uma vida longa e normal.

Não desista de quem não desistiria de você!

Fonte:MEUPETESPECIAL

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*