Home > Campanhas > Vejam como podemos minimizar o efeito dos fogos de artifícios em nossos animais:

pet

Saiba como evitar estresse dos fogos de artifício para seu pet

Cães e gatos têm audição sensível e medo pode colocá-los em perigo.
Animais devem ficar soltos para procurar local em que se sintam seguros.

 

DICA IMPORTANTE: Como ajudar os cãezinhos que tem medo de fogos de artifícios? Papis Alexandre Rossi explica!! ‪#‎EstopinhaProduções‬

Facebook 

Saiba como evitar estresse dos fogos de artifício para seu pet

 

Florais para Cães – Tratamento natural para os pets

 

Saiba como proteger seus animais do barulho dos fogos de artifício

 

pet1

CRMV-SC alerta sobre os prejuízos do barulho dos fogos de artifício aos cães

CRMV-SC alerta sobre os prejuízos do barulho dos fogos de artifício aos cães
Os cães possuem uma capacidade auditiva muito superior ao do ser humano. Eles conseguem detectar sons até quatro vezes mais distantes. Barulhos agudos, como os tradicionais fogos de artifício comuns nesta época do ano, representam muita mais que uma tormenta para os bichinhos, podem provocar problemas mais graves. O alerta é do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina (CRMV-SC). As reações dos pets variam, desde ataques aos donos fugas, ferimentos pela procura desesperada por um lugar mais silencioso e até convulsões. Medicações podem ser administradas em animais que demonstram muito desconforto, desde que seja com orientação veterinária. “Existem algumas opções no mercado farmacêutico veterinário que podem ser úteis na prevenção de danos aos animais mais problemáticos, porém as indicações têm que ser individualizadas, levando em conta as características do paciente”, afirma o Médico Veterinário Marcos Albersheim dos Santos, membro da Comissão de Ética, Bioética e Bem-estar Animal do CRMV-SC. Porém, de uma forma geral, algumas dicas simples podem ser muito eficientes, como fechar portas e janelas perto da hora da queima de fogos, aumentar o volume da música ou da televisão, não deixar o animal próximo de locais com vidros ou ainda e revestir com espuma sua casinha podem amenizar o sofrimento do pet. Outra possibilidade são os treinamentos prévios, que se forem feitos por profissionais especializados, ajudam o cão a aceitar o barulho com mais tranquilidade. Neste exercício o cão é, progressivamente, colocado em contato com sons cada vez mais altos, até se familiarizar com grandes ruídos.
DICAS
– Colocar algum som mais alto e suportável ao cão no ambiente como música ou televisão;
– Enriquecer o ambiente do animal com brinquedos ou desafios para desviar sua atenção, como bolinhas, túneis, caixas de papelão entreabertas;
– Evitar o acesso a locais potencialmente perigosos (varandas, janelas e piscinas;
– Colocá-lo em contato com outros cães, preferencialmente que não se assustem com barulhos; e fechar cortinas, portas e janelas (buscando minimizar o som);
– De qualquer forma, cães que ainda sofrem nestas situações podem ser manejados sob tranquilização/sedação (com restrito controle do médico-veterinário).

Fonte : CRMV SC

Uma solução para os nossos animais de estimação que tanto sofrem nestas datas com o ruídos de fogos de artifício ou até mesmo sentem medo de trovoadas.

O que se pode fazer é o método tellington touch

Vimos que a maioria dos cães que têm fobia aos ruídos também são muitas vezes sensíveis ao toque nos quartos traseiros, nas patas e nas orelhas. Estas zonas costumam estar frias. Também a base da linha pode estar tensa e pode haver tensão na parte lombar.
Com toques na orelha e em outros pontos do corpo poderemos fazer aumentar a circulação sanguínea nas extremidades, aliviar a tensão nas costas e na parte traseira que reduzem os níveis de stress.
À medida que o corpo vai entrar em equilíbrio através da terapia corporal de touch, a mente e as emoções também vão se equilibrar, o que ajuda o animal se sentir mais confiante em situações que antes lhe davam medo.
Uma das ferramentas mais úteis do método tellington touch para a fobia ao ruído, são as ligaduras corporais.
Como pode ser que um simples pedaço de ”pano” tenha efeitos tão profundos sobre o comportamento de um animal?
A resposta está na parte em que o sistema nervoso processa a informação sensorial proveniente da suave pressão da venda corporal.
As ligaduras suscitam uma sensação de calma.
Em Geral, o toque com pressão, ativa o ramo parassimpático do sistema nervoso autônomo, que é o domínio do sistema nervoso que tranquiliza, restabelece e nos faz sentir mais centrados. Os efeitos calmantes que apreciamos com as ligaduras podem ser devido à influência das sensações de pressão sobre o sistema nervoso.
Ao vendar o corpo, simplesmente aumentamos o nível de informação sensorial que se transmite ao cérebro.
Normalmente a venda se coloca sobre o corpo do animal seguindo uma configuração em forma de oito, fazendo contato em torno do peito e cruzando pelas costas.

Fonte: Jorge Hernandez

O conceito parece incrível, mas não dá para confiar em tudo que aparece na nossa linha do tempo em redes sociais, então resolvi pesquisar um pouco mais sobre o Tellington Touch e essa possível solução para cães que não suportam barulhos, principalmente de fogos de artifício.

 

Então achei a informação que uma bandagem feita dentro desse conceito, chamada de “The Original Anxiety Wrap” ganhou o prêmio de produto cinco estrelas promovido pela Associação Americana de Pet (APA) em 2011. Sua criadora, uma adestradora certificada chamada Susan Sharpe, acrescentou que esse tipo de pressão em pontos de acupuntura canina também ajuda a deixar o animal mais calmo durante tempestades e viagens, quando eles ficam em caixas de transporte.

Mais uma curiosidade sobre o método é que ele foi desenvolvido por Linda Tellington-Jones inicialmente para tratar diversos problemas em equinos, mas também ficou bastante popular entre donos de cachorros com fobias, principalmente o medo de tempestades.

Peguei também o depoimento positivo no site Vet Medicine com a redatora e veterinária Janet Tobiassen Crosby de que sua cachorra ficou incrivelmente mais calma após usar o método.

Como mãe preocupada de três cachorras eu vou tentar essa técnica no próximo Ano Novo. Mas, obviamente, tomarei cuidado para não deixar a faixa muito apertada nas minhas filhas de quatro patas.

Mas se você quer mais saídas para deixar seu animal mais calmo nesses momentos de muito barulho, deixo aqui dicas do que já faço:

  • Coloco as três em um quarto com as janelas fechadas e uma música calma tocando em altura média.
  • Deixo casinhas tipo toca para que elas possam se esconder, pois elas se sentem mais seguras
  • Não uso coleiras para amarrá-las nesses momentos, pois elas podem se enforcar
  • Não fico mimando ou pegando no colo no momento de medo extremo, pois isso deixa as pequenas ainda mais tensas

Fonte : R7

 

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*